Prostituição é abordada como tema da edição n. 10 do Repórter Unesp

A prática da prostituição é abordada como tema da edição n.10 do Repórter Unesp – portal jornalístico multímidia desenvolvido junto ao Laboratório de Estudo em Comunicação, Tecnologia e Educação Cidadã (Lecotec) da Faac da Unesp de Bauru. Os trabalhos são desenvolvidos pelos bolsistas, colaboradores e alunos das disciplinas Digital I e II do curso de Jornalismo. 

Conversei com Nayara Kobori, sobre o tema da prostituição, na cidade de Ribeirão Preto, após participar da palestra “Mulher e a Abolição Inacabada: exploração sexual, prostituição e racismo” realizada no UNISEB, sob organização da bibliotecária Bianca Miranda de Almeida.

Foto: Nayara Kobori - Palestra realizada em 09.05.14 no UNISEB

Foto: Nayara Kobori – Palestra realizada em 09.05.14 no UNISEB

Link da edição n.10 do Repórter UNESP : http://www.reporterunesp.jor.br/category/webrevista/prostituicao/

Centro Cultural (Vergueiro) exibe mostra de filmes sobre prostituição

O Centro Cultural São Paulo (Vergueiro) exibe sessões de filmes que abordam a prática da prostituição. A mostra ficará em cartaz entre os dias 20 de maio e 1º de junho, com ingressos a R$ 1.

A mostra é composta pela exibição de 15 filmes e tem como objetivo atualizar o debate sobre a representação da prostituição em diversas épocas e segmentos do cinema, sob olhares de diferentes nacionalidades.

Dentre os filmes estão “Simon Killer” e “A glória das prostitutas” do austríaco Michael Glawogger, a produção brasileira “Noite Vazia” de Walter Hugo Khouri, o filme “Confissões de uma garota de programa” de Steven Soderbergh que conta com a participação de Sasha Grey – escritora e atriz pornô, além da recente produção “Jovem e bela” de François Ozon. 

A programação está disponível em:  

http://www.centrocultural.sp.gov.br/programacao_cinema_mostra_prostituta.html

Endereço: R. Vergueiro, 1000, Liberdade – Oeste,  São Paulo – fone: (11) 3397-4002/Próximo a Estação Vergueiro (Metrô – Linha 1 Azul)

Prostituição é debatida em Simpósio Temático no Seminário Fazendo Gênero

A temática da prostituição foi debatida no Simpósio “Feminismo, sexualidade e mercado do sexo” como parte das atividades do Seminário Internacional Fazendo Gênero realizado em Florianópolis, no período de 16 a 20 de setembro. O simpósio temático foi coordenado pelos pesquisadores Ana Paula da Silva (Universidade Federal de Viçosa) e Thaddeus G. Blanchette (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e teve como debatedoras as pesquisadoras Sonia Corrêa (ABIA/ Observatório de Sexualidade e Política) e Adriana Piscitelli (Núcleo PAGU).  A pesquisadora e integrante do GETS – Domila do Prado Pazzini (Universidade Federal de São Carlos) apresentou  o trabalho “A prostituição de mulheres de casas noturnas do interior de São Paulo”.

DSC07272

O simpósio reuniu pesquisadores de diversas regiões brasileiras que estudam a temática da prostituição, dentre el@s: Danielle Marinho Brasil, Lívia Freire da Silva, Vinício Brígido S. Abreu, Mayra M. Suzuki da Cruz, Rafael França G. Santos, Andreia Skackauskas, dentre outr@s.

DSC07274

Já o trabalho “Feminismos e autodeterminação de prostitutas: diferentes percepções acerca da prestação de serviços sexuais” foi apresentado por mim – Fabiana Rodrigues de Sousa (GETS) no Simpósio Temático “Diversidades e desafios do feminismo no Brasil e na América Latina”.

I Seminário da Aprosmig contou com participação de diversas pessoas

O I Seminário “Prostituição e legalização: trabalho, direitos e cidadania” promovido pela Associação das Prostitutas de Minas Gerais -APROSMIG foi realizado no dia 28 de junho, no auditório da Secretaria Municipal de Políticas Sociais, em Belo Horizonte. O evento teve início a partir das 9h e foi encerrado às 18h, contando com a participação de pessoas ligadas a Associação  como as coordenadoras Cida Vieira e Laura, Lucimara, Patrícia, Zazá, além de membros de diferentes grupos sociais  como @s pesquisadores Thaddeus Blanchette (UFRJ) , Karina Dias Géa (UFMG), Fabiana Rodrigues de Sousa (UFSCar) e Marina Veiga França (UFMG), o professor Cesar de Sante (Escola CAASO), Rita Calazans (CUT/MG), Osmar Rezende (LIBERTAS), o major Gedir (Polícia Militar), Silvia Helena (Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania), o empresário Elias Targino (Shopping UAI), Fernanda Givisiez (Programa de Combate ao Tráfico), dentre outr@s participantes.

Pesquisadores Karina Géa e Thaddeus Blanchette

Pesquisadores Karina Géa e Thaddeus Blanchette

Fernanda Givisiez e Rita Calazans

Fernanda Givisiez e Rita Calazans

Imagem

Aprosmig realizará seminário “Prostituição e legalização: trabalho, direito e cidadania”

I SEMINÁRIO APROSMIG_Prostituição e legalização_28.06.13

Na sexta-feira (dia 28.06.13) será realizado o I Seminário APROSMIG “Prostituição e legalização: trabalho, direito e cidadania”. O evento será promovido pela Associação de Prostitutas de Minas Gerais e conta com apoio da prefeitura de Belo Horizonte. De acordo com  Cida Vieira – presidente da Associação – com a mudança na lei e o reconhecimento do trabalho da prostituta , as profissionais  do sexo poderiam se apresentar como são, assim como outros trabalhadores, favorecendo dessa forma sua luta por direitos.

Suprema corte dos EUA derruba cláusula antiprostituição

Após  sete anos de batalha judicial, a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou a cláusula antiprostituição – que deveria ser assinada pelas organizações de todo o mundo como pré requisito para recebimento de financiamento a programas e projetos de controle de HIV/Aids. A decisão foi anunciada nessa quinta-feira (21.06.13), uma vez que a Suprema Corte considerou que essa cláusula viola  a Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos, pois interfere na liberdade de expressão e induz o financiado a adotar uma visão governamental como se fosse sua.  A Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos proíbe o Congresso de interferir em seis direitos fundamentais, entre eles o direito à liberdade de expressão.

Sendo assim, conforme matéria publicada no Beijo da Rua , as instituições dos EUA poderão atuar no enfrentamento da epidemia de HIV/Aids sem serem obrigadas a adotar a política governamental que condena a prática da prostituição, o que abre possibilidade para adoção de estratégias que contribuem com o processo de organização e  educação de prostitutas.  No entanto, as organizações sediadas fora dos EUA ainda terão de assinar essa cláusula para receber financiamento oriundo dos Estados Unidos. Essa obrigação foi o  que motivou a Rede Brasileira de Prostitutas a recusar, em 2005, o financiamento de 40 milhões de dólares da Usaid/Pepfar (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional e Plano de Emergência do Presidente para o Combate à Aids).

Em nota enviada a ativistas do movimento de prostitutas, o consultor sênior em Prevenção do HIV da Pathfinder International, Carlos Laudari, comemorou a decisão da Suprema Corte e demonstrou confiança de que a obrigatoriedade de outros países assinarem a cláusula também venha a ser “rechaçada pelo sistema jurídico americano”.

Fonte: http://www.beijodarua.com.br/

banner_garota

Colóquio “Reflexões atuais sobre prostituição” será realizado em Buenos Aires

No dia 31 de maio de 2013, será realizado o Colóquio Reflexões atuais sobre prostituição às 19h, na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade Buenos Aires (FFyL-UBA). O evento é organizado por PRI Debates contemporáneos de la teoría feminista. Implicancias y aportes para la investigación social del Instituto Interdisciplinario de Estudios de Género- (IIEGE/FFyL-UBA).    http://www.priteoriafeminista.blogspot.com.ar/

Palestrantes:

Dra. Cecilia Varela.  Del tráfico de las mujeres al tráfico de las políticas. Una exploración histórica sobre las campañas anti-trata en la última década.

 Dra. Deborah Daich. Sexo, género y dinero. Viejos pruritos morales, nuevos pánicos sexuales.

 Dra. Cristiana Schettini. En busca del tráfico: trabajo, inmigración y derechos a comienzos del siglo XX.

reflexiones_prostitucion