Inscrições abertas para curso de Mestrado Profissional em Educação na UFSCar

Estão abertas as inscrições para o Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE)  da Universidade Federal de São Carlos. O objetivo do Programa é desenvolver a formação acadêmica situada na prática profissional de docentes que atuam nas diversas áreas de conhecimento, capacitando-os para atuarem de forma significativa na sociedade.

As investigações que serão desenvolvidas no âmbito do Mestrado Profissional em Educação, pelos professores da Educação Básica, contemplarão os fundamentos históricos, epistemológicos, filosóficos e metodológicos que se apresentam nos processos de ensino e aprendizagem que ocorrem nos espaços educativos formais e não formais.

A primeira turma do curso se inicia em agosto de 2013. As inscrições podem ser feitas no período de 1 de março a 30 de abril. Mais informações disponíveis em:  http://www.ppgpe.ufscar.br/events/evento-teste

UNESCO aprova Cátedra em Gênero e Diversidade Cultural

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) foi selecionada para sediar, pelos próximos três anos, a Cátedra Unesco “Diversidade Cultural, Gênero e Fronteiras”. No último dia 8 de fevereiro, o professor Losandro Antônio Tedeschi e o magnífico reitor da UFGD, professor Damião Duque de Farias, estiveram em Brasília para uma reunião com representantes da Unesco.

diversidade

Através das cátedras, a Unesco busca prestigiar o trabalho de pesquisadores que se envolvem com temas relevantes para uma melhoria da qualidade de vida de grupos sociais ou territórios em vulnerabilidade. O objetivo da Cátedra Diversidade Cultural, Gênero e Fronteiras é fomentar um sistema integrado de atividades de investigação, formação, informação e documentação, bem como facilitar a colaboração entre investigadores e docentes de universidades nacionais e internacionais, de movimentos sociais e ONGs que trabalham com a temática de gênero e diversidade.

………………………………………

Fontes:

http://www.fazendogenero.ufsc.br/10/informativo/view?TIPO=1&ID_INFORMATIVO=82

http://observatoriodadiversidade.org.br/site/ufgd-vai-sediar-catedra-da-unesco-com-o-tema-diversidade-cultural-genero-e-fronteiras/

 

Documentário ‘Os silenciados não mudam o mundo’ aborda o pensamento de Paulo Freire

Alexandre Alencar é o diretor do documentário Os silenciados não mudam o mundo que retrata o pensamento do educador pernambucano Paulo Freire (1921-1997). O filme tem como eixo o áudio de uma entrevista inédita do filósofo e educador, na qual ele fala sobre rebeldia, amor e autoritarismo, e que serve de fio-condutor para a construção de dois personagens, um do sertão pernambucano e outro da capital, Recife.

Produzido com incentivo do Governo do Estado, a partir do Funcultura, o documentário pré-estreou, em janeiro, no cinema da Fundação Joaquim Nabuco, em Recife. O título do documentário é uma alusão a uma citação de Freire presente na obra Pedagogia dos Sonhos Possíveis que reúne textos do educador sob organização de Nita Freire.

“A liberdade que não faz uma coisa porque teme o castigo não está ‘eticizando-se’. É preciso que eu aceite a necessidade ética, aí o limite é compromisso e não mais imposição, é assunção. O castigo não faz isso. O castigo pode criar docilidade, silêncio. Mas os silenciados não mudam o mundo.”  (Paulo Freire – Pedagogia dos Sonhos Possíveis – Org. Ana Maria A. Freire – Ed. Unesp)

Estudo analisa o papel da imprensa na legitimação do Estado Novo

O pesquisador e historiador Vandré Teotônio da Silva defendeu, em 2012, a dissertação Notícias do Rio: a intervenção no jornal ‘O Estado de S. Paulo’ e a autolegitimação do Estado Novo (1939-1945), junto ao Programa de História Social da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. A pesquisa se debruça sobre a produção noticiosa do jornal O Estado de S. Paulo e foi realizada a partir da leitura e análise de cerca de seis anos de produção de notícias no jornal diário, concentrando-se, especialmente, na coluna ‘Notícias do Rio’.

Vandré Teotônio da Silva - autor da dissertação

Vandré Teotônio da Silva – pesquisador e historiador

Entre 1940 e 1945, o jornal O Estado de S.Paulo sofreu intervenção do governo Vargas e o referido estudo analisa os prós e os contras dessa intervenção. De acordo com Vandré Teotônio da Silva o jornal foi apropriado pelo Estado e passou a fazer parte de um projeto de comunicação social oficial que tinha como objetivo legitimar e contribuir com a construção da imagem do governo estadonovista. No entanto, o pesquisador destaca que o jornal não foi apenas uma vítima do regime, já que manteve-se em uma situação de jogo político com Getúlio Vargas: ora concordando, ora rechaçando os projetos e ideias políticas do presidente. O estudo desvela que a intervenção não gerou apenas prejuízos ao jornal que teve sua liberdade de expressão cassada, mas houve também profissionalização dos jornalistas e melhorias no campo administrativo.

Para outras informações sobre a pesquisa, acessar:

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-23072012-085317/pt-br.php#referencias

http://www.usp.br/agen/?p=126594

http://www.nosdacomunicacao.com.br/panorama_interna.asp?panorama=482&tipo=E

 

 

INTEGRANTE DO GETS DEFENDE MONOGRAFIA SOBRE CONDUTAS E CÓDIGOS DA PROSTITUIÇÃO

Domila Prado Pazzini adquiriu o título de bacharel em Ciências Sociais ao defender, hoje pela manhã, a monografia intitulada “Prazer e perigo: um estudo dos processos relacionados ao exercício da prostituição”,  com orientação do Prof. Dr. Gabriel de Santis Feltran (Departamento de Sociologia – UFSCar).

A monografia é resulto de uma pesquisa que teve como objetivo estudar condutas e códigos da ação cotidiana de prostitutas em duas cidades do interior de São Paulo.

DSC05553

 

DSC05559

 

DSC05560b

Grupo Femen Brasil protesta contra os assassinatos de mulheres em São Paulo

Ativistas do grupo Femen Brasil protestaram no bairro da Liberdade, região central da capital paulista, na quinta-feira (31.01.13), contra os assassinatos ocorridos na zona leste de  São Paulo.

Quatro integrantes do grupo organizaram uma manifestação, na qual pintaram seus corpos e levaram cartazes com frases de repúdio aos crimes, tais como “se você broxar, não tente nos matar”, “fui prostituta, mereço morrer?”.

Cartazes faziam alusão às declarações do autor dos crimes na Zona Leste (Foto: Ale Vianna/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

Cartazes faziam alusão às declarações do autor dos crimes na Zona Leste (Foto: Ale Vianna/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

Os crimes foram cometidos por Eduardo Sebastião do Patrocínio, de 42 anos. Preso na terça-feira (29.01.13), Eduardo confessou ter assassinado, entre 2010 e janeiro deste ano, cinco mulheres que, segundo ele, eram garotas de programa em São Paulo. Ainda de acordo com ele, os crimes foram cometidos “por raiva”, uma vez que não conseguia manter relações sexuais com as mulheres e por isso as esganava. A polícia acredita que o número de vítimas pode ser maior.