Histórico do Grupo de Estudos Trabalho Sexual – GETS/UFSCar

No salão da Rue des Moulins (1894) / Toulouse-Lautrec

No salão da Rue des Moulins (1894) / Toulouse-Lautrec

 

Fabiana Rodrigues de Sousa (doutoranda em Educação/PPGE – UFSCar)

Maria Waldenez de Oliveira (professora do DME e PPGE – UFSCar )

 

 

As atividades do GETS tiveram início em 1998, em parceria com duas casas noturnas de São Carlos/SP. Ao longo dos anos, estabelecemos parceria com novas casas noturnas, algumas delas fecharam e outras abriram. Houve uma ampliação na temática abordada, inicialmente voltada à promoção da saúde reprodutiva, para temas diversificados tais como educação, direitos humanos, gênero, relacionamentos afetivos, corpo, marginalização e preconceito, prática social, trabalho sexual, organização e associações de prostitutas, etc.

As ações educativas e estudos promovidos pelo grupo caracterizam-se pela busca de uma abordagem interdisciplinar, na qual o trabalho sexual é debatido por meio de contribuições advindas de diferentes áreas do conhecimento. Já participaram do grupo alunos de graduação em Pedagogia, Enfermagem, Ciências Sociais, Biologia, Terapia Ocupacional, Imagem e Som, Psicologia e também de pós-graduação em Educação.

O GETS está ligado ao grupo de pesquisa Práticas Sociais e Processos Educativos da UFSCar* Temos realizado inserções em contextos prostitucionais, visando a desvelar processos educativos que se consolidam nas experiências vivenciadas nesses espaços. Com base nas contribuições da Educação Popular e da Filosofia da Libertação, dentre outras, procuramos desenvolver processos de escuta, de convivência e de diálogo com prostitutas, buscando compreender seus modos próprios de viver e de perceber o exercício da prostituição.

Como resultado de nossa convivência com mulheres prostitutas nesse contexto de pesquisa e extensão, podemos destacar a transformação do nosso olhar acerca do trabalho sexual**, o qual vem sendo construído por histórias de mulheres que cotidianamente lutam pelos seus direitos e pela dignidade para si e para seus filhos/familiares. Como trabalhadoras noturnas, se deparam com as mesmas dificuldades que as demais mulheres que trabalham nesse período, falta de creches e demais serviços de apoio às atividades domésticas, falta de transporte público.

O diálogo com prostitutas tem favorecido nossa  compreensão do modo como essas mulheres fazem a leitura de sua realidade e como realizam sua prática, permitindo-nos afirmar que essas mulheres são sujeitos de direito. Contrariando a perspectiva que tende a retratar a prostituta apenas como vítima, temos percebido que as prostitutas são capazes não só de identificar as situações de opressão presentes em seu cotidiano, mas também de criar respostas para enfrentá-las.


* www.processosedutativos.ufscar.br

 

** Cabe destacar que entendemos por trabalho sexual: a prestação voluntária de serviços sexuais por pessoa adulta, mediante acordo prévio no qual é estipulado o tempo, o pagamento e a natureza do serviço a ser prestado. Exclui-se dessa compreensão a exploração sexual infantil e o trabalho escravo.

Anúncios

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Milena
    ago 27, 2011 @ 15:56:42

    Sou formada em Ciências Sociais pela USP e trabalho como consultora no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Gostaria muito de trocar algumas informações.
    Me interessa saber se existe pesquisas sobre a cidade de origem das Mulheres que trabalham no mercado do sexo na cidade de São Carlos .

    Atenciosamente,
    Milena de Lima e Silva

    Responder

    • FabianaRSousa
      ago 29, 2011 @ 13:01:07

      Olá, Milena
      Não temos pesquisas voltadas a discutir, especificamente, a questão da migração das mulheres que prestam serviços sexuais em São Carlos. Minha dissertação de mestrado menciona as cidades de origem das mulheres que exercem trabalho sexual em casas noturnas de São Carlos. Pela minha convivência em campo, percebo que as mulheres que prestam serviços sexuais em casas noturnas da cidade costumam viajar voluntariamente e, portanto, não se encontram em situação de tráfico. Se for de seu interesse, posso lhe passar o arquivo de minha dissertação.
      cordialmente,
      Fabiana

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: